quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Fécula de Batata Colombo




 Essa caixinha azul-rei e meio arroxeada de Fécula de Batata eu vi durante anos nas prateleiras e gôndolas de supermercados em todo o Brasil e ela assim permaneceu, com este desenho antigo durante muito tempo, mas, de repente, não mais que de repente, a fécula sumiu ou mudou de embalagem, se pirulitou. Achava tão bonitinha essa embalagem que a cortei e colei em um antigo caderno de receitas.
Certas embalagens ficaram iguais durante muito tempo, como a de Cremogema - linda! - a de Maizena, sempre amarelona e preta, o Nescau, Ovomaltine... depois todas se modernizaram para se aproximarem de um novo gosto, de uma nova época e de outros consumidores.
Mas a fécula de batata continua sendo vendida por aí, porém não mais azul-rei-arroxeado e não sei se ainda da Colombo.


A receita do Bolo de Fécula de Batata no verso da caixinha é o tradicional e o melhor. Delícia.

Quem faz o Biscoito da Rainha?


Uma boa pergunta.
Propaganda dos anos 80 de biscoitos Cream Craker colada em um livro meu de receitas culinárias.



A rainha Elizabeth II sorridente e satisfeita após degustar o seu biscoito diário.
-Eu aprecio muito este biscoito, meu filho. Vai muito bem com o chá.

Santa Luzia




Hoje em Salvador, 13 de dezembro, aconteceu a missa e procissão de Santa Luzia, que sai da Igreja do Pilar - linda e toda restaurada - e percorre as ruas do Comércio. Na igreja, a fonte de Santa Luzia com a água benta que serve os milhares de devotos que lá vão todos os anos pagar promessas e lavar os olhos. À noite tem festa profana, ou tinha, pois a cada ano vem caindo muito a frequência, assim como a da festa da Conceição. Signal dos tempos! 
Até os anos 80 eram muitas as barracas de comidas e bebidas e muito samba após as rezas. Praticamente acabou aquela alegria. Aliás, tanta coisa boa acabou no Brasil que está ficando um país que não respeita e não conserva as suas tradições. 
Uma tristeza.  Identidade (?) quase zero.
Vamos pedir a Santa Luzia que conserve sempre a saúde dos nossos olhos e os deixe sempre bem abertos e ligados nos males que nos rodeia.






 As fotos são do Correio da Bahia.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Estampa de Santa Bárbara


Adoro essas estampas de santos muito comuns à partir do final do século XIX até o XX. As originais alemães - Leiber - são lindas, a impressão perfeita com muitos detalhes e bem coloridas, mas as cópias ou similares também eram muto bonitas, como é o caso dessa estampa de Santa Bárbara que comprei há algum tempo já bem metralhadinha pelo trabalho nefasto das traças. Elas, como eu, são loucas por papel, só que eu conservo e elas... destroem!
Retirei a estampa da moldura para limpar e aproveitei para escanear e postar. Já tenho uma original Leiber de Santa Bárbara, mas esta é totalmente diferente. E linda!
Em breve esta outra estará no meu quarto dos santos.



sábado, 9 de dezembro de 2017

Carmen Mayrink Veiga . Um Cartão - Postal



Nesses 5 anos do blog Antiguinho, fiz 228 postagens com fotos, textos e entrevistas dadas por Carmen Mayrink Veiga na imprensa. Desde o final dos anos 70 que venho colecionando esse material e, é ele, que está publicado, ou melhor, republicado aqui e pacientemente escaneado e editado por mim.
Coincidentemente à morte de Carmen, ocorrida no último dia 3, esse meu baú de Carmen praticamente chegou ao fim, coloquei 99% dele aqui. Planejava ir colocando aos pouquinhos este resto do material, mas, com este acontecimento, pra mim inesperado apesar de sabê-la doente, resolvi, então, que devo escanear tudo e postar o mais breve possível e, assim, encerrar este meu trabalho ao qual me dei com prazer e quase como uma missão.
Tudo o que eu posso ou poderia dizer sobre Carmen Mayrink Veiga, agora, todos os elogios de admiração pela mulher incrível que ela foi, tudo já foi dito por mim aqui, nestas 228 postagens fartas de fotos, textos e entrevistas. 
Algumas poucas e finais postagens virão em breve.
E fica o dito pelo dito.
Li uma vez, Carmen dizendo que era popular entre as pessoas do seleto mundo em que viveu. Mas ela foi popular, também, entre os comuns mortais, nos quais eu me incluo. Muitos e vários a admiravam.
Entre as mil fotos estupendas de Carmen Mayrink Veiga, escolhi para fazer esta postagem uma foto publicada na Veja de 1996, quando ela concedeu entrevista para as famosas páginas amarelas da revista e, uma outra, da mesma série. Surpreendentemente são as cores da Bandeira Brasileira que estão ali! 
Carmen está com uma super capa imensa verde, recortada num céu azul, o Pão de Açúcar, o Corcovado, a rocha que se ergue imponente ao fundo e o mar do Rio de Janeiro. Como um postal. 
É Carmen Mayrink Veiga, um cartão-postal do Rio de Janeiro e do Brasil.







sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Nossa Senhora da Conceição . Padroeira da Bahia


Hoje, 8 de dezembro é o dia de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do estado da Bahia. Este ano o dia caiu numa sexta-feira, proporcionando um feriadão aos soteropolitanos que podem, assim, descansar da faina, da labuta e luta diária.
Ajudai-nos Nossa Senhora da Conceição!
Não fui à procissão, aliás tem anos que não vou, imagino o trancetê para ir, o trancetê para voltar, então, melhor não ir. Rezo por aqui e acendo minha vela.
A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia é a minha predileta, pra mim a mais linda de Salvador, o exterior é suntuoso, todo em pedra de Lioz que veio de Portugal numerada para ser montada depois.  A nave, o interior é pequeno, mas simplesmente o máximo, o estilo é o barroco, mas não é das mais riconas, cheias de ouro, mas tem muitos detalhes e um jeito, um clima de capela que acolhe e envolve os que ali entram. Dá um barato entrar ali. Adoro!
Preciso ir lá em um dia mais calmo para rezar - ô igreja boa para rezar! - e fotografar os detalhes que eu quero.
A igreja é do século XVIII, mas, nos fundos da construção, há ainda a antiga capela do século XVII e que foi descoberta a algum tempo. Passado e presente da igreja, história dentro da história.
Salve Nossa Senhora da Conceição
As imagens, todas, são de sites de jornais locais.
As imagens da santa com o manto mais claro é da procissão deste ano. Estava linda de branco, azul celeste e um véu curto dourado de tule. Acompanhavam a imagem de roca da santa, um Deus Menino, um São José e uma Santa Bárbara
Procissão das boas, fortíssima e o povo baiano fiel seguindo.












domingo, 3 de dezembro de 2017

Elisinha Moreira Salles


Nos meus guardados, esta nota do falecimento de dona Elisinha na revista Isto É, dezembro de 1988.


Dorival Caymmi . Desenho de Carlos Bastos


Encontrei este retrato de Caymmi feito pelo pintor Carlos Bastos no livro Cancioneiro da Bahia da editora Record, 1978, uma reunião de canções do compositor com ilustrações de Clóvis Graciano.
Antes de postar qualquer coisa aqui no meu blog, eu procuro no Google pra ver se já tem ou não e, este desenho, não está por lá. 
Então, é uma novidade antiguinha. Mas, será??? O Google nos pega com a boca na botija...
Admirem e arrastem, à vontade, este Caymmi por Carlos Bastos, dois baianos de truz. 

Santinho de Nossa Senhora Aparecida e Imagem em Madeira


Santinho super cafona e maravilhoso feito com montagens de várias imagens da antiga igreja de Nossa Senhora Aparecida, a atual basílica, santuário e a enorme passarela com os visitantes/devotos/peregrinos que vão a Aparecida. Pra arrematar, o mapa do Brasil recortado e a imagem da santa ao meio - sou a dona do pedaço! - e o colorido super retocado, muito azul, muito verde, muito amarelo - que cores seriam estas, hem? e a cúpula da basílica fosforescendo de luz ao alto. Tudo muito, tudo exagerado, trezentas mil informações em um pequenino pedaço de papel.
Achei este santinho dentro de um livro velho que comprei em um sebo. Com ele dentro ganhei o dia: meu lado traça boazinha, aquela que recicla e reaproveita amou e tome no blog!
Abaixo, uma escultura da santa em madeira. Ela está no gabinete da presidência lá em Brasília e salvei de uma foto. Recortei a escultura, que achei belíssima, um bloco de madeira maciça - cedro, deve ser - e a imagem bem simples esculpida.
Eu, na verdade, não gosto da representação da santa, acho aquele manto muito duro, sem movimento, prefiro aqueles de caimento natural ou os esvoaçantes do XVIII, mas esta imagem moderna e sintética da santa esculpida na madeira, pesadona, deu um resultado muito bom e muito chique, a imagem apareceu. 
E quem seria o autor?


quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Elis Regina e Danton . 1978


Elis, ao lado de Danton, maquiador de São Paulo. Essa foto dos dois deve ter sido feita durante um ensaio que Elis fez para a fotógrafa Vânia Toledo em 1978.
A foto é do arquivo particular do meu amigo Antonio, de São Paulo. Coisa rara! 
Elis, A Maior, estava espetacular nesse modelo bem sexy, coloridíssimo, ousado e mostrando tudo. Ui! 
Seria de Clodovil o vestido?